top of page

Parashat Vaerá




Parashat Vaerá - Shemot (Êxodo) 6.2-9.35

Vaerá - Apareci

Esta parashat inicia com o Eterno falando a Moshê e o enviando ao faraó, segue com a genealogia de Moshê e Aharon. Moshê e Aharon falam ao faraó, e seguem-se as pragas do sangue, depois das rãs, as quais os magos do Egito também conseguem fazer. Quando vem a terceira praga, os magos reconhecem o dedo de D-us, pois não conseguem fazer mais. Seguiu-se a praga dos piolhos, dos animais daninhos, pestilência sobre o gado, úlceras sobre os homens e chuva de pedras. E o faraó continuou com o coração endurecido.

Os caminhos do Eterno são insondáveis, seus pensamentos são mais altos que os nossos. Isso podemos perceber na forma como Ele vai operando no Egito. Seria muito fácil para o Eterno livrar seu povo de forma instantânea, pode-nos parecer mais plausível, mas não é assim que o Eterno trabalha. O livramento dos seus filhos vai acontecendo em um processo que glorifica Seu Nome, aniquila os deuses do Egito, e faz com que os seus aprendam a depender dEle somente. HaShem age em todas as esferas, atingindo o reino material e espiritual, e não nessa ordem. E escolhe usar Seus filhos nesse processo, o que demanda confiança e dependência total em relação a Ele.

Através da emunah no que HaShem diz, cada vez milagres maiores vão acontecendo. Os benei Israel viram maravilhas diante de seus olhos para que seu livramento ocorresse. O endurecimento do faraó tinha um propósito, a suposta demora na vitória fazia parte do plano do Eterno. Quantas vezes oramos e parece que a resposta não vem, que a vitória não chega... Mas calma, o Eterno trabalha de modo muito diferente do nosso. E Ele tem planos para nós, então precisamos subir degrau a degrau, na confiança em Sua palavra que não volta vazia. Precisamos aprender a ouvir e obedecer Sua voz, e aprender a confiar. Sem fé é impossível agradar a D-us (Hb 11.6), somos moldados enquanto vamos experimentando o agir do Eterno em nossas vidas, e conforme aprendemos a depender dEle, coisas maiores virão.

A saída de Mizraim (Egito) moldou o povo de Israel, todo o processo deu identidade a esse povo que por tantos anos fora escravo. A cada passo de vitória o povo pôde conhecer melhor o D-us de Israel, e aprender a depender unicamente dEle.

Porque assim diz o Senhor D-us, o Santo de Israel: Em vos converterdes e em sossegardes, está a vossa salvação; na tranquilidade e na confiança, a vossa força. (Is 30.15)

Por Letícia Bencke Junge

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Nenhum tag.
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square
bottom of page